Bráulio Henrique Orion Uchôa Veloso Pinto

De wikITA

Primeira parte: História resumida.

Bem, vou logo começar, porque na minha época de orkut eu via o pessoal passando no ITA e vinha aqui na comunidade pra ver os depoimentos pra me dar motivação. Comecei a saber do ITA logo quando entrei no ensino médio, mas tudo não passava de um sonho, ainda mais pra um cara sem condições financeiras que nem eu. A escola onde eu estudava em Manaus era muito boa, mas não pros padrões ITA/IME, daí tive que estudar pros vestibulares tradicionais do estado.

Em 2008, no meu terceiro ano, foi minha primeira tentativa. Resultado: me ferrei, nível absurdo p/ aquilo q eu sabia, se eu acertei umas 2 questões de matemática foi muito. A partir daí, senti que a preparação pro ITA era algo mais específico, muito mais aprofundado, ainda mais pra mim, que nunca ganhei nenhuma mençãozinha na vida, nunca fui medalhista em olimpíada.

Em 2009, entrei para a faculdade, mas logo desisti pra me dedicar ao ITA, estudando sozinho com um material que um professor havia me emprestado. Daí, fiz de novo a prova, mas tinha o sentimento de que não havia me preparado bem, na verdade, nesse ano, construí uma base em matemática, física e química. Depois do resultado, deu um negócio na minha cabeça e decidi ir me dedicar única e exclusivamente para esse meu objetivo tão almejado. Para isso, precisava de uma preparação mais focada, com gente querendo a mesma coisa, com competitividade pra dar motivação pros estudos. Já tinha ouvido falar de cursinhos famosos, no eixo do sudeste, mas com certeza não me aceitariam por lá, era muito caro, e pra um cara que nem eu não tinha como conseguir bolsa. Fora isso, me manter por lá ia sair muito caro, ainda mais sozinho num lugar em que nunca havia estado. Então, me liguei que parentes dos patrões da minha mãe, empregada doméstica, moravam em Fortaleza, daí pelo respaudo dessa cidade em aprovações ITA/IME, decidi meter a cara. Graças a Deus, todos me apoiaram nessa empreitada e ganhei uma família em Fortaleza. Pra mim não importava o cursinho que entrasse, queria apenas focar nesse objetivo. Acabou que eu fui parar no FB, chorando por uma bolsa e tendo apenas como garantia a confiança no meu esforço e dedicação e num histórico escolar razoável.

Começou 2010 e dei o gás. Estudava muito, muito mesmo. Afinal, estava eu ali apenas pra isso. Passei em alguns concursos militares, mas levei meu primeiro baque no IME, fiquei meio triste, mas ainda faltava o ITA. Fiz uma prova mais ou menos, e já tinha quase certeza de que não passaria, o que, obviamente, aconteceu. Decidi então tentar mais uma vez, a derradeira, porque, apesar de ser meu sonho, não podia esperar muito e ver minha mãe se sacrificando e trabalhando muito no emprego dela. Pra mim, eu tinha e ainda tenho a obrigação de dar uma vida melhor pra ela, que desde o início apoiou as minhas decisões.

Chegou 2011, e foi o ano pra tapar os buracos. Aquela história de que ah...isso não cai não tio Judson... é pura carteação! Nunca subestime um assunto. Bem, estudei bastante também, mas não era tão isolado quanto em 2010. Sempre fiz todos os simulados, e isso me ajudava muito a ver como estava em relação aos meus demais concorrentes, porém amigos. Veio o IME, primeiro grande vestibular do ano, e me sentia bem preparado. Ainda estava com o pé atrás, pq nunca havia passado no concurso, mas graças a Deus consegui ser aprovado, me senti aliviado e percebi que os anos de preparação haviam valido a pena. Porém, ainda faltava algo, sempre falta, e era o ITA. Voltei pra Manaus e fiz as provas por aqui, bem cedo, 6 da matina começava. A semana foi de pouco descanso, dormia pouco, com certa ansiedade. Recomendo que durmam bem, é bizu. A partir daí vcs sabem o que aconteceu, tanto que estou aqui fazendo esse depoimento e espero que sirva de ânimo pra um 2012 cheio de realizações pra todos que desejam, de corpo e alma, ir para o ITA.

Segunda parte: Rotina de estudos e recomendações.

Chegava no cursinho pela manhã, assitia às aulas, ia almoçar e voltava pras aulas que tinham à tarde. Depois disso, era estudando e fazendo as apostilas até 9 da noite(lógico que comia nesse intervalo, ainda mais pra um gordinho que nem eu). Alguns amigos meus ficavam até o colégio expulsá-los.

Bem, o que eu recomendo é que vocês foquem naquilo que vocês têm dificuldade, porém nunca se confiem em dizer que já sabem tal matéria ou outra. Afinal, a média do ITA é composta por 4 matérias. Passei no vestibular, porque era mediano em todas as matérias. Eu tinha uma certa dificuldade em matemática, principalmente no IME, que já havia me cortado 2 vezes. Dei o gás mesmo, nunca subestimava um assunto ou algo parecido. Contudo, sempre procurava dedicar tempo igual pra Física e Química, ficava revezando os estudos. Quanto à português, estudava literatura, que cai bastante no ITA, 6 questões, que podem definir sua entrada na instituição. Em inglês, já havia feito curso e tinha facilidade, daí só assistia às aulas dos professores. Se você não sabe inglês, estude, pegue uma gramática boa e, principalmente, tente ganhar vocabulário lendo revistas estrangeiras!!! Amigos meus, excelentes, foram cortados em inglês esse ano. Um deles havia fechado a prova de matemática por completo. Não que êles não tenham estudado, mas a prova do ITA é meio traiçoeira, é uma prova que exige muita interpretação e atenção.

Em termos de livros etc., não estudava muito por eles, focava mais nas apostilas dos professores e nas aulas bizuradas. Mas, tenho algumas recomendações, que muitos aqui sempre estão comentando, principalmente pros que estudam sozinhos:

Matemática: Matemática elementar, p/ ganhar base, Caio Guimarães e Elementos do Rufino pra aprofundar. Morgado, de geometria e combinatória, é bizu também.

Física: Tópicos de Física, Renato Brito(excelente!), Saraeva...e muitas questões por fora, do site do Rumo ao ITA, Gilson Resolve, de onde for, tem que fazer muita questão!

Química: Estudava só com o que os professores passavam, mas recomendo Feltre/Martha Reis para ganhar base e Peter Atkins/Brady pra aprofundar, juntamente com os livros do Nelson Santos.

Português: Resumo de obras =D, gramática não cai muito, mas é sempre bom saber!!!

Inglês: como eu já disse, ganhar base com uma gramática e ganhar vocabulário... Ler muito também, pra saber como interpretar direito, vale também pra parte de interpretação de português.

Bizu Master: Fazer provas antigas, só pra relembrar!! Marquem o tempo, o mínimo possível, se conseguirem!! Velocidade você ganha treinando, não adianta ter todo o conhecimento do mundo, o que faz você passar é saber utilizar o q você sabe em quatro horas.

Outra coisa extremamente importante: Organização e discplina é tudo, façam um plano de estudo que vocês se sintam bem, não adianta também estudar 16 hs por dia e dormir pouco, ah, falando nisso, dormir bem é bizu. Pelo menos umas 7 horas por dia...

Definam uma estratégia e foquem nela. Não há coisa melhor do que você chegar na prova e chegar confiante em tudo que você estudou e se dedicou.

Terceira Parte: Agradecimentos.

Agradeço primeiramente a Deus, que me dava forças quando muitas vezes me faltou.

À minha mãe, que sempre me apoiou e aos meus familiares aqui em Manaus, que me ajudavam financeiramente e com palavras motivadoras.

À família que ganhei em Fortaleza, em especial à Dona Zilneide, que foi a avó que nunca tive, oferecendo moradia e mais que tudo amor pra alguém não tão conhecido.

Aos meus amigos, fundamentais na minha conquista.

Por fim, à equipe FB, que me forneceu as ferramentas necessárias, físicas ou não, pra que eu alcançasse esse objetivo.

Espero, do fundo do meu coração, que todos vocês que estão lutando por esse objetivo, consigam obter sucesso. Lembrem-se de que sem sacrifício, não existe vitória.


Turma de 2016

Ferramentas pessoais