Embraer

De wikITA

(Diferença entre revisões)
(Acrecentado o DECRETO Nº 66.005, DE 30 DE DEZEMBRO DE 1969 - Aprova a constituição da sociedade por ações EMBRAER - Empresa Brasileira de Aeronáutica, S.A. e dá outras providências.)
Linha 1: Linha 1:
[[Imagem:EMBRAER.jpg|thumb|300px|right|Vista aérea da Empresa Brasileira de Aeronáutica - [[Embraer]] - Fonte: [http://gileosavioes.blogspot.com/2008_01_01_archive.html Blog Gil e os Aviões] ]]
[[Imagem:EMBRAER.jpg|thumb|300px|right|Vista aérea da Empresa Brasileira de Aeronáutica - [[Embraer]] - Fonte: [http://gileosavioes.blogspot.com/2008_01_01_archive.html Blog Gil e os Aviões] ]]
-
A Empresa Brasileira de Aeronáutica - [[Embraer]] - foi fundada em 1969 ([https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1965-1988/del0770.htm Decreto-Lei nº 770, de 19 de agosto de 1969]), sob a liderança do [[iteano]] [[Ozires Silva]] ([[Turma de 1962]]), a partir do projeto [[Bandeirante|IPD/PAR 6504]] do [[CTA]], que resultou numa aeronave protótipo, batizada com o nome de [[Bandeirante]] pelo Brig [[Paulo Victor da Silva]] ([[Turma de 1953]], à época, Diretor do [[CTA]]), que viria a ser identificada por [[Bandeirante|YC-95]] na [[FAB]].  
+
A Empresa Brasileira de Aeronáutica - [[Embraer]] - foi fundada em 1969 ([https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1965-1988/del0770.htm Decreto-Lei nº 770, de 19 de agosto de 1969] e [http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-66005-30-dezembro-1969-407496-publicacaooriginal-1-pe.html Decreto nº 66.005, de 30 de dezembro de 1969]), sob a liderança do [[iteano]] [[Ozires Silva]] ([[Turma de 1962]]), a partir do projeto [[Bandeirante|IPD/PAR 6504]] do [[CTA]], que resultou numa aeronave protótipo, batizada com o nome de [[Bandeirante]] pelo Brig [[Paulo Victor da Silva]] ([[Turma de 1953]], à época, Diretor do [[CTA]]), que viria a ser identificada por [[Bandeirante|YC-95]] na [[FAB]].  
Embora o primeiro protótipo da [[Embraer]] tenha sido o do [[Bandeirante]], a primeira linha de produção foi a do [[https://pt.wikipedia.org/wiki/Aermacchi_MB-326 MB-326]], com tecnologia transferida sob licença da [[Aermacchi]], batizado no Brasil como [[Xavante]], EMB-326 ou, na [[FAB]], AT-26.  
Embora o primeiro protótipo da [[Embraer]] tenha sido o do [[Bandeirante]], a primeira linha de produção foi a do [[https://pt.wikipedia.org/wiki/Aermacchi_MB-326 MB-326]], com tecnologia transferida sob licença da [[Aermacchi]], batizado no Brasil como [[Xavante]], EMB-326 ou, na [[FAB]], AT-26.  

Edição de 18h11min de 28 de fevereiro de 2019

Vista aérea da Empresa Brasileira de Aeronáutica - Embraer - Fonte: Blog Gil e os Aviões

A Empresa Brasileira de Aeronáutica - Embraer - foi fundada em 1969 (Decreto-Lei nº 770, de 19 de agosto de 1969 e Decreto nº 66.005, de 30 de dezembro de 1969), sob a liderança do iteano Ozires Silva (Turma de 1962), a partir do projeto IPD/PAR 6504 do CTA, que resultou numa aeronave protótipo, batizada com o nome de Bandeirante pelo Brig Paulo Victor da Silva (Turma de 1953, à época, Diretor do CTA), que viria a ser identificada por YC-95 na FAB.

Embora o primeiro protótipo da Embraer tenha sido o do Bandeirante, a primeira linha de produção foi a do [MB-326], com tecnologia transferida sob licença da Aermacchi, batizado no Brasil como Xavante, EMB-326 ou, na FAB, AT-26.

A produção do Bandeirante na Embraer somente se tornou possível graças aos conhecimentos adquiridos da Aermacchi na montagem da linha de produção do Xavante. [1]

É importante ressaltar que, pouco antes da Embraer ser fundada, a Sociedade Construtora Aeronáutica Neiva Ltda. já estava produzindo o L-42 Regente e o T-25 Universal, os primeiros aviões metálicos concebidos e produzidos em série no Brasil. Estes projetos, juntamente com o T-23 Uirapuru, da Aerotec, criaram normas e padrões para a iniciante indústria aeronáutica brasileira, organizando o setor e preparando o caminho para o surgimento da Embraer.

Cabe também lembrar que, nessa mesma época pioneira, logo no início de suas atividades, a Embraer criou uma pequena linha de produção de uma aeronave quase sempre esquecida, o planador EMB-400 Urupema, cujo projeto havia sido desenvolvido no ITA pelo então professor Guido Fontegalant Pessotti (Turma de 1960) que propos e orientou o seu desenvolvimento na forma de TGs com alunos da turma de 1964 e de 1965. Guido Pessotti foi o primeiro Diretor Técnico da Embraer, cargo no qual permaneceu até o ano de 1992.

Ainda nessa fase, o Ministério da Agricultura brasileiro firmou contrato com a Embraer com o objetivo de produzir no país uma aeronave agrícola, visando introduzir novas técnicas de produção neste setor da economia e gerando, simultaneamente, uma fonte de recursos para a indústria aeronáutica estatal recém-criada. Testado na Fazenda Ipanema, na cidade de Sorocaba, com seu primeiro vôo ocorrendo em 1970, o avião produzido foi designado EMB-200 Ipanema, tendo sua produção iniciada em 1972.

Em seguida, a Embraer passou a produzir uma linha de aeronaves leves, sob licença da Piper, composta dos EMB-712 Tupi, EMB-810 Seneca e EMB-820 Navajo, versões nacionais, respectivamente, dos PA-28 Cherokee, PA-34 Seneca e PA-31 Navajo.

Posteriormente, com o "know how" adquirido com a fabricação do Xavante, do Bandeirante, do Urupema, do Ipanema e das aeronaves leves da Piper, a Embraer pode alçar novos vôos, desenvolvendo o EMB-312 Tucano e o AMX, e prosseguindo rumo às aeronaves com cabine pressurizada - o EMB-121 Xingu, seguido pelo EMB-120 Brasília e, depois, pelo CBA-123.

Anos mais tarde, em 1995, a Embraer passou a fabricar a variada linha de jatos atual, iniciada com os ERJ-145, ERJ-140 e ERJ-135, que foram seguidos pelos Legacy 450, Legacy 500, Legacy 600 e Legacy Shuttle.

Na sequência, a Embraer desenvolveu sua linha de aviões a jato de maior porte, para transporte de passageiros - os Embraer 170, Embraer 175, Embraer 190 e o Embraer 195, sendo este o maior deles, com capacidade para 122 passageiros.

Mais recentemente, foi concebido o projeto do Embraer C-390, jato para transporte militar ou civil, que prevê a utilização da tecnologia fly-by-wire do Embraer 190 em sua aviônica. Deverá ter capacidade para 19 toneladas de carga, inclusive veículos, tornando-se a aeronave mais pesada a ser produzida pela Embraer, conforme anunciado na Latin America Aero & Defence (LAAD) de 2007, no Rio de Janeiro.

Por último, a Embraer passou a produzir duas novas séries de aviões executivos a jato, os VLJ (Very Light Jet) Phenom 100 e Phenom 300, e o ultra-large Lineage 1000, derivado do Embraer 190.

No início de 2009, a Embraer constava como a terceira maior indústria aeronáutica do mundo, atrás apenas da Boeing e da Airbus, pelo número de aeronaves produzidas, pela qualidade dos seus produtos e pela dimensão da economia movimentada. Tornou-se, dessa forma, uma das maiores empresas exportadoras do Brasil, em termos de valores absolutos, desde 1999, e, também, a fabricante de jatos executivos com maior número de pedidos em carteira do mundo.

Sua sede fica localizada em São José dos Campos, Estado de São Paulo, havendo diversas outras unidades, industriais, comerciais e de serviços, no Brasil e no exterior.

Arquivo para Download


Ligações externas

  1. Ozires Silva. A decolagem de um sonho. Lemos Editorial, 2002.
  2. Ozires Silva. A decolagem de um grande sonho - EMBRAER: A vitória do conhecimento e da tecnologia. Campus, 2008.
  3. Portal da Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A. - Embraer.
  4. Portal da Indústria Aeronáutica Neiva.
  5. Site of Empresa Brasileira de Aeronáutica - Embraer (inglês).
  6. Embraer History. Portal da Embraer (inglês).
  7. Embraer. Wikipédia.
  8. Indústria Aeronáutica Neiva. Wikipédia.
  9. Embraer. Wikipedia (inglês).
  10. Embraer EMB-400 Urupema. Wikipédia.
  11. Embraer ERJ family. Wikipedia (inglês).
  12. Embraer 170. Wikipédia.
  13. Embraer E-Jets. Wikipedia (inglês).
  14. Embraer C-390. Wikipédia.
  15. Embraer C-390. Wikipedia (inglês).
  16. História da Embraer.Portal Jetsite.com.br (inglês).
  17. Pictures of the Embraer fleet. Portal Airplanes.se (inglês).
  18. Embraer Profile by World Aircraft Sales (inglês).
  19. Production Lists - Boeing, Airbus, Convair, Douglas, Canadair & Embraer. Portal ABCDlist.nl (inglês).
  20. Portal do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial - CTA.
  21. Portal do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA.
  22. Portal do Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE/CTA.
  23. Portal da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal S.A.
  24. Latin America Aero & Defence (LAAD) - Relatório Pós-Evento de 2007.
  25. Forjaz, M.C.S. - EMBRAER como empresa estatal (1967-1994). FGV-EAESP, 2004.
  26. Contribuição Brasileira à História da Aviação. Revista ABCM Engenharia, vol. 09, n. 2, abr/set 2003.




Glossário

IPD

Bandeirante

Xavante

Urupema

Piper

Neiva

DCTA

História do ITA

ITA

Ferramentas pessoais