Felipe Eudes Pontes Fernandez

De wikITA

http://www.linkedin.com/profile?viewProfile=&key=3212130

Durante o ITA existia a figura da opção para carreira militar desde o concurso. Fez a opção no concurso, como candidato oriundo da EPCAr, e no terceiro ano tornou-se Asp. Of. Eng. Aer. durante os três anos do profissional. Durante o quarto ano brevetou como piloto de planador no CVV-CTA (já em Ipuã), foram seus instrutores os colegas veteranos Francisco Leme Galvão, Ekkehard Carlos Fernando Schubert, Otávio Kovács e Sérgio Bassi (filhos do Kovács e do professor Darwin Bassi). Durante o quinto ano do ITA resolveu fazer o curso de ensaios em vôo no CTA-IPD-PEV (hoje GEEV).

Na época o CTA tinha um grande interesse em formar tripulações de ensaio. Estar inscrito no curso era uma garantia de permanecer no CTA, próximo à "tecnologia de ponta".

Foi selecionado para o curso de 1991 (o curso tinha, e ainda tem, duração de um ano). Cursou na companhia de mais dois engenheiros do ITA (Cláudio Passos Simão AER83 e Augusto Luiz de Castro Otero AER86) e quatro pilotos da FAB (Márcio Brisolla Jordão AFA73, Alexandre Carlos Santana Matta AFA75, Aírton Manoel Rodrigues AFA75 e Gérson de Oliveira Mendes EPCAr76).

O curso foi o primeiro contato rotineiro como tripulação de aeronave (já tinha a experiência de vôo a vela, pois havia tirado o brevet no CVV-CTA qundo estava no ITA). Mas na "PEV" eram todas aeronaves propulsadas: C-95A (FAB2306), YC-97 (FAB2000 PT-ZBA Brasília-Protótipo), T-27, e o único a jato, AT-26 - Xavante.

Recém saído do ITA reviveu a mecânica de vôo "dentro" de um laboratório voador (instrumentação já da era digital SFIM Damien V - Não chegou a usar os históricos registradores fotográficos A 13), sentindo as reações das aeronaves, as características de vôo, medindo e calculando polar de arrasto. Um momento marcante foi o levantamento da CLalfa do Xavante e constatar que a inclinação da curva tinha pouca diferença quando comparada com a CLalfa teórica da placa plana em escoamento incompressível (2*PI). O contato com a instrumentação embarcada também foi outra descoberta. O CEV (Curso de Ensaio em vôo), ensinava todos os fundamentos e ferramentas. Poder estudar a teoria e depois medir os fenômenos foi uma experiência riquíssima na formação profissional de engenheiro.

Quando criança queria ser cientista. Era uma visão ingênua. Ao ser apresentado aos laboratórios do ITA, o rigor e formalidade da metodologia da experimentação científica foi um choque de realidade riquíssimo que ajudou muito. No CEV isso foi aproveitado com uma recompensa: A aplicação era direta no nível do avião (macro) e os resultados práticos e visíveis. No fim do curso houve avaliações em vôo de aeronaves de outras unidades da Força Aérea, em sua turma ("class 1991") foram: o Boeing 707, C-130 Hércules e F-5. Seu vôo para avaliar o radar "Cirano" do Mirage IIIE-Br , por algum motivo de disponibilidade da aeronave, não aconteceu. Para finalizar o curso havia a "Field Trip", que naquele ano foi para os EUA, a bordo do FAB2000 (Protótipo do Brasília que estava lotado no CTA na época PT-ZBA), foram visitados: Edwards Air Force Base (F-16), Eglin AFB (A10 e o seu canhão Vulcan), USN Patuxent River (Voou A-4 com um piloto da Navy que o ensinou a pousar usando um VASIS regulado para uma rampa de pouso embarcado). Uma característica do A-4 que foi apresentada é que ao se manter a asa inclinada, o combustível passa todo para a asa baixa (mascarava assim a manobra clássica de verificação da estabilidade estática látero-direcional - SHSS).

Graduou-se como "Engenheiro de Prova - Asa Fixa" e foi lotado no CTA-IPD-PEV. O Comandante da OM era o Mozart Marques Louzada Jr, logo em Janeiro, foi designado para o Programa de Provas Intensivas (PPI) do AMX (A1) na Base Aérea de Santa Cruz. Missão cumprida na companhia do piloto de provas Aírton Manuel Rodrigues. O esquadrão 1/16 "Adelfi" estava operando o AMX (designação FAB A1), já há algum tempo, mas ainda na curva inicial de aprendizado.


Continua...



PAPERS

Commercial Aircraft Certification for ETOPS

http://papers.sae.org/2007-01-2521


ERJ 170 flight controls development

Celere, Andre L., EMBRAER, Sao Jose dos Campos, Brazil; Fernandez, Felipe E. P., EMBRAER, Sao Jose dos Campos, Brazil; Tedeschi Oliveira, Luiz F., EMBRAER, Sao Jose dos Campos, Brazil AIAA-2000-4578 AIAA Modeling and Simulation Technologies Conference, Denver, CO, Aug. 14-17, 2000


Links externos

Perfil no LinkedIn


Turma de 1990

Ferramentas pessoais