História do ITA

De wikITA

(Diferença entre revisões)
m
m
 
(30 edições intermediárias não estão sendo exibidas.)
Linha 1: Linha 1:
-
Em 1918, em seu livro "O que vi, o que veremos" - Editora A Encantada, Alberto Santos-Dumont registrou a idéia de criar de uma escola técnica no Brasil, voltada para a aviação, antevendo um centro de tecnologia que só se efetivaria décadas mais tarde.  
+
Em 1918, em seu livro [[media:O que eu vi, o que nós veremos.pdf|'''''O que eu vi, o que nós veremos''''']] - Editora A Encantada, [[Alberto Santos Dumont]] registrou a idéia de criar uma escola técnica no Brasil, voltada para a aviação, antevendo um centro de tecnologia que só se efetivaria décadas mais tarde.  
-
Eis um trecho do livro:
+
Eis um trecho do livro, extraído da versão digital enviada por [[Nivaldo Laguna Ciocchi]] ([[ELE]]-[[Turma de 1963|63]]), que pode ser acessada na íntegra clicando no link do nome do mesmo no parágrafo anterior:
<blockquote>
<blockquote>
-
Eu, que tenho algo de sonhador, nunca imaginei o que tive ocasião de observar, quando visitei uma enorme fábrica nos EUA.  
+
"Eu, que tenho algo de sonhador, nunca imaginei o que tive ocasião de observar, quando visitei uma enorme fábrica nos EUA.  
Vi milhares de hábeis mecânicos ocupados na construção de aeroplanos, produzindo diariamente de 12 a 18. Quando o Congresso Americano acaba de ordenar a construção de 22.000 dessas máquinas, nós, aqui, não encaramos ainda esse problema com a atenção que merece.
Vi milhares de hábeis mecânicos ocupados na construção de aeroplanos, produzindo diariamente de 12 a 18. Quando o Congresso Americano acaba de ordenar a construção de 22.000 dessas máquinas, nós, aqui, não encaramos ainda esse problema com a atenção que merece.
Linha 16: Linha 16:
Penso que, sob todos os pontos de vista, é preferível trazer professores da Europa e dos EUA, em vez de para lá enviar alunos.
Penso que, sob todos os pontos de vista, é preferível trazer professores da Europa e dos EUA, em vez de para lá enviar alunos.
-
Meu mais intenso desejo é ver verdadeiras Escolas de Aviação no Brasil. Ver o aeroplano, hoje poderosa arma de guerra, amanhã meio ótimo de transporte, percorrendo as nossas imensas regiões, povoando nosso céu, para onde, primeiro, levantou os olhos o Pe. Bartolomeu Lourenço de Gusmão.
+
Meu mais intenso desejo é ver verdadeiras Escolas de Aviação no Brasil. Ver o aeroplano, hoje poderosa arma de guerra, amanhã meio ótimo de transporte, percorrendo as nossas imensas regiões, povoando nosso céu, para onde, primeiro, levantou os olhos o Pe. Bartolomeu Lourenço de Gusmão."
</blockquote>
</blockquote>
 +
 +
Em 20 de outubro de 1904, nasceu, em Fortaleza, [[Casimiro Montenegro Filho]], que se tornou Marechal e Patrono da Engenharia da Aeronáutica. Em 1943, assumiu a Diretoria Técnica da Aeronáutica e começou a conceber a criação do [[ITA|Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA]], para a formação dos profissionais necessários à construção de uma indústria aeronáutica no Brasil.
 +
 +
Em janeiro de 1946, surgiu a primeira Comissão de Organização do [[CTA|Centro Técnico de Aeronáutica - CTA]]. À frente da Comissão, o Cel. [[Casimiro Montenegro Filho]] buscou as escolas que mais se destacavam no ramo nos Estados Unidos. Visitou o MIT (Massachussetts Institute of Technology) e o Wright Field, centro de formação de pessoal para a Força Aérea Americana. Escolheu uma estratégia definida pela trilogia ensino, pesquisa e indústria. Montou uma equipe de oficiais da Aeronáutica, recebeu assessoria do Prof. Reitor [[Richard Harbert Smith]], e começou, em 1948, a transformar o sonho em realidade.
 +
 +
Em 1950, nasceu o [[ITA]] em [[São José dos Campos]], e o primeiro Curso de Engenharia Aeronáutica. Em 1953, no mesmo local, implantou-se o [[CTA]] (Centro Técnico de Aeronáutica), que, em 1969, se tornou Centro Técnico Aeroespacial.
 +
 +
20 anos depois, em 1970, o Governo Brasileiro fundou a [[Embraer]] - Empresa Brasileira de Aeronáutica. Em 1994, a Embraer foi privatizada e se tornou a 4ª maior indústria de aviões do mundo.
 +
 +
Até 2019, o [[ITA]] já formou em torno de [[Engenheiros formados pelo ITA|6.400 engenheiros]].
[[História do ITA 1941 a 1950]]  
[[História do ITA 1941 a 1950]]  
Linha 31: Linha 41:
[[História do ITA 1991 a 2000]]
[[História do ITA 1991 a 2000]]
-
[[História do ITA 2001 até agora]]
+
[[História do ITA 2001 a 2010]]
 +
 
 +
[[História do ITA 2011 a 2020]]
 +
 
 +
== Ligações externas ==
 +
# [http://www.ita.br Portal do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA]
 +
# [http://maps.google.com.br/maps/ms?ie=UTF8&hl=pt-BR&msa=0&ll=-23.209974,-45.876138&spn=0.005739,0.009656&t=k&z=17&lci=lmc:panoramio&msid=115034965085415745691.00045a2b83f8da1a91471 ITA no Google Maps]
 +
# [http://www.cta.br Portal do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial - CTA]
 +
# [http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69091999000100008 O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1947-1967)]
 +
 
----
----
-
[[P%C3%A1gina_principal | Página Principal]]
+
[[Página principal]]
 +
 
 +
[[Glossário]]
 +
 
 +
[[CTA]]
 +
 
 +
[[ITA]]

Edição atual tal como 17h18min de 21 de dezembro de 2019

Em 1918, em seu livro O que eu vi, o que nós veremos - Editora A Encantada, Alberto Santos Dumont registrou a idéia de criar uma escola técnica no Brasil, voltada para a aviação, antevendo um centro de tecnologia que só se efetivaria décadas mais tarde.

Eis um trecho do livro, extraído da versão digital enviada por Nivaldo Laguna Ciocchi (ELE-63), que pode ser acessada na íntegra clicando no link do nome do mesmo no parágrafo anterior:

"Eu, que tenho algo de sonhador, nunca imaginei o que tive ocasião de observar, quando visitei uma enorme fábrica nos EUA. Vi milhares de hábeis mecânicos ocupados na construção de aeroplanos, produzindo diariamente de 12 a 18. Quando o Congresso Americano acaba de ordenar a construção de 22.000 dessas máquinas, nós, aqui, não encaramos ainda esse problema com a atenção que merece. A principal dificuldade para a navegação aérea está no progresso dos motores... Já o aço tem sido melhorado... Outra dificuldade que se apresenta à navegação aérea é a de localizar-se o aeroplano... É tempo, talvez, de se instalar uma escola de verdade em um campo adequado... Margeando a linha da Central do Brasil, especialmente nas imediações de Mogi das Cruzes, avistam-se campos que me parecem bons. Os alunos precisam dormir junto à Escola, ainda que para isso seja necessário fazer instalações adequadas... Penso que, sob todos os pontos de vista, é preferível trazer professores da Europa e dos EUA, em vez de para lá enviar alunos. Meu mais intenso desejo é ver verdadeiras Escolas de Aviação no Brasil. Ver o aeroplano, hoje poderosa arma de guerra, amanhã meio ótimo de transporte, percorrendo as nossas imensas regiões, povoando nosso céu, para onde, primeiro, levantou os olhos o Pe. Bartolomeu Lourenço de Gusmão."

Em 20 de outubro de 1904, nasceu, em Fortaleza, Casimiro Montenegro Filho, que se tornou Marechal e Patrono da Engenharia da Aeronáutica. Em 1943, assumiu a Diretoria Técnica da Aeronáutica e começou a conceber a criação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA, para a formação dos profissionais necessários à construção de uma indústria aeronáutica no Brasil.

Em janeiro de 1946, surgiu a primeira Comissão de Organização do Centro Técnico de Aeronáutica - CTA. À frente da Comissão, o Cel. Casimiro Montenegro Filho buscou as escolas que mais se destacavam no ramo nos Estados Unidos. Visitou o MIT (Massachussetts Institute of Technology) e o Wright Field, centro de formação de pessoal para a Força Aérea Americana. Escolheu uma estratégia definida pela trilogia ensino, pesquisa e indústria. Montou uma equipe de oficiais da Aeronáutica, recebeu assessoria do Prof. Reitor Richard Harbert Smith, e começou, em 1948, a transformar o sonho em realidade.

Em 1950, nasceu o ITA em São José dos Campos, e o primeiro Curso de Engenharia Aeronáutica. Em 1953, no mesmo local, implantou-se o CTA (Centro Técnico de Aeronáutica), que, em 1969, se tornou Centro Técnico Aeroespacial.

20 anos depois, em 1970, o Governo Brasileiro fundou a Embraer - Empresa Brasileira de Aeronáutica. Em 1994, a Embraer foi privatizada e se tornou a 4ª maior indústria de aviões do mundo.

Até 2019, o ITA já formou em torno de 6.400 engenheiros.

História do ITA 1941 a 1950

História do ITA 1951 a 1960

História do ITA 1961 a 1970

História do ITA 1971 a 1980

História do ITA 1981 a 1990

História do ITA 1991 a 2000

História do ITA 2001 a 2010

História do ITA 2011 a 2020

Ligações externas

  1. Portal do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA
  2. ITA no Google Maps
  3. Portal do Comando-Geral de Tecnologia Aeroespacial - CTA
  4. O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1947-1967)

Página principal

Glossário

CTA

ITA

Ferramentas pessoais