História do ITA 1951 a 1960

De wikITA

Tabela de conteúdo

1951

Começo do Curso de engenharia Eletrônica, formando a primeira turma em 1953, com 14 engenheiros.

17 de dezembro

O Ministério da Aeronáutica foi autorizado a aceitar, da Prefeitura Municipal de São José dos Campos, a doação de 9.280.000 metros quadrados de terrenos destinados à instalação do Centro Técnico da Aeronáutica (Decreto nº 30.629).

1953

19 de março de 1953

Criação do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva, para proporcionar o serviço militar para quem ainda não estava quite.

Tinha 2 anos de duração, era optativo, mais rígido e 2 vezes por semana. Era desvinculado do ITA.

3 de agosto de 1953

Foi pela primeira vez hasteada a Bandeira Nacional e lido o primeiro boletim interno do CPOR. Neste mesmo dia, iniciou-se o ano letivo para 118 alunos.

26 de novembro de 1953

Decreto N. 34.701 cria o Centro Técnico de Aeronáutica

Íntegra do decreto

31 de dezembro de 1953

Extinção da COCTA.

1954

Alunos do CPOR marchando próximo ao Elefante Branco em 1954.

Dia 1º de janeiro de 1954

Criação do CTA (Centro Técnico de Aeronáutica) conforme instituído pelo Decreto nº 34.701, de 26 de novembro de 1953.

Dia 5 de janeiro de 1954

Promulgada a Lei no. 2.165, que definiu o ITA como estabelecimento de educação e de ensino superior, deu validade oficial aos graus concedidos pelo Instituto e reconheceu a equivalência de seus cursos aos das demais escolas superiores do sistema de ensino oficial.

Dia 29 de julho de 1954

Inauguração do primeiro bloco do H8.

Novembro de 1954

O jornal "O Iteano" cita o termo Disciplina Consciente:

(...) Como vemos, o regime de Disciplina Consciente para ser aplicado precisa de autoridade (e muita) a fim de realizar alguma coisa de sólido e construtivo.

Dezembro de 1954

Por iniciativa dos engenheiros formados nesse mesmo ano, foi criada a AAAITA - Associação dos Antigos Alunos do ITA (hoje AEITA – Associação dos Engenheiros do ITA).

A Assembléia de Constituição, que ocorreu em 18 de Dezembro na Sala das Sessões da Congregação dos Professores do ITA, contou com a participação de 39 engenheiros, presidida pelo Eng. Arthur César de Araújo e teve sua Ata publicada no Diário Oficial num. 112 de 24/05/1965.

Ata da assembleia de constituição da AAAITA publicada no D.O.U.

Após a aprovação dos Estatutos, foi eleita sua primeira Diretoria, sendo seu primeiro presidente o Eng. Urbano Ernesto Stumpf, da Turma de 1950, futuro “pai” do motor a álcool.

1958

Foto de Ângelo Rosa para a edição #337 da revista Manchete, de 4 de Outubro de 1958

Trote do foguete

Lançamento do RX-1 no famoso Trote do Foguete.

1959

Dia 3 de setembro de 1959

Inauguração da RUSD (Rádio Universitária Santos-Dumont).

Conjunto de Câmara do ITA

Formação do Conjunto de Câmara do ITA; perdurou até 1961 ou 1962.

1960

Inauguração do H13, o novo restaurante dos alunos.

Até então as refeições eram servidas no antigo e provisório rancho, chamado de “Natalino”, em honra ao seu “maitre da cozinha”, Benedito Tinoco Natalino, falecido aos 101 anos de idade em janeiro de 2013

Dia 7 de dezembro de 1960

A proposta de transformar o ITA numa fundação é lançada nesta data, quando o então Ministro da Aeronáutica, Ten.Brig. Francisco de Assis Correa de Mello, encaminhou ao Congresso Nacional, com o maior apoio dos corpos docente e discente, um anteprojeto de lei transformando o ITA em fundação, vinculado ao MAer, imaginada por todos como a única proposição capaz de permitir o funcionamento e desenvolvimento eficiente da organização, por razões de falta de verba e inconveniência administrativa do Ministério, que, "cônscio da responsabilidade de criar condições propícias para o estabelecimento das atividades básicas essenciais ao desenvolvimento de sistema de segurança nacional", não poupava esforços para amparar e prestigiar o ITA, órgão que foi indiscutivelmente o pioneiro na renovação dos processos educacionais de nível universitário no Brasil.

Era opinião comum que o ITA já havia atingido o máximo crescimento possível dentro do regime público, e que, ou o ITA se beneficiava das vantagens de administração privada, ou se desvirtuava de suas finalidades. Essas conclusões, formuladas a partir de estudos feitos por elementos do ITA, foram corroboradas por iniciativas de caráter análogo, que buscaram no ITA a inspiração de suas diretrizes. O projeto ITA–Fundação, aprovado por unanimidade em todas as Comissões do Congresso por que passou (Comissão de Justiça e Segurança Nacional, Comissão de Serviço Público), caminhava lentamente no Congresso, uma vez que muitas eram as modificações propostas, inclusive a incorporação de todo o CTA à Fundação. Porém, em 1964, o MAer encaminhou um pedido ao Congresso para que o projeto de lei fosse retirado da pauta de vontações, o que acabou ocorrendo, contrariando a vontade de Casimiro Montenegro Filho.


História do ITA

Ferramentas pessoais