História do ITA 1961 a 1970

De wikITA

Tabela de conteúdo

1961

Começam as atividades de Pós-Graduação, iniciativa que marcou não só a introdução, no país, da pós-graduação em engenharia, como também de um modelo que veio a ser adotado em outras áreas do conhecimento.

Inicia-se a construção do E-1, para abrigar a Divisão de Ensino Fundamental.

Construção das quadras de tênis e do “Bar da Quadra” na praça de esportes.

Quadras de tênis vistas do bar da quadra
Bar da quadra

Computador Zezinho

Nesse ano nasceu o Zezinho, primeiro computador inteiramente projetado e construído no Brasil.

Avibrás

Em 1961 nasceu a Avibrás criada por um grupo de iteanos (Aloysio Gerson Ferrette Garcia de Figueiredo, João Verdi de Carvalho Leite, José Carlos de Sousa Reis e Olympio Sambatti), desenvolveram pequenos aviões monomotores, o "Alvorada" e o "Falcão" utilizados pela FAB para treinamento e para suas ligações operacionais.

1962

Início da construção do “Hotel de Trânsito do CTA”.

Inauguração do campo de beisebol, na praça de esportes, com a presença do diretor do CTA, brigadeiro Dirceu de Paiva Guimarães

Notícia de jornal sobre a inauguração do campo de beisebol

Em 1962 o engenheiro Carlos Gonçalves criou a Aerotec, que desenvolveu o “Uirapuru”, depois transformado no T-23, usado por muitos anos como primeiro avião de treinamento na AFA (Academia da Força Aérea) em Pirassununga.

1963

O primeiro título de mestre conferido pelo ITA foi em 1963.

É criada, com a colaboração do chamado Ponto IV americano, a especialidade de Engenharia Mecânica, formando sua primeira turma em 1965. Ainda nesse ano, é criado o Laboratório de Processamento de Dados.

Mais ou menos dessa época é a imagem abaixo, que no original continha uma legenda com o título O estado-maior do ITA, e o nome das pessoas. Como havia engano em dois nomes, a legenda foi retirada da foto e colocada como texto; além disso, não houve outra modificação. Foto original.

O estado-maior do ITA, os brasileiros Jeremias Chrispim, Luiz Catanhede, Casimiro Montenegro, ?, Marco Antônio Cecchini e Oscar Spinola, o belga René Marie Vandaele e o suíço Charles Kunzi

1964

O CTA é declarado área de segurança nacional.

Subordinação do ITA ao CTA pela portaria 964-GM3 e fim da terceira diretriz.

Saída do reitor Cecchini (primeiro reitor brasileiro do ITA).

Na imagem ao lado, a portaria principal de entrada para o CTA nessa época

No final do ano anterior tinha sido tomada a decisão de construir uma piscina na quadra de esportes, e as obras foram feitas em 1964

Abaixo, fotos da piscina em construção e após a conclusão

1965

Expulsão de Casimiro Montenegro Filho da direção do CTA pelo Ministério da Aeronáutica, participação especial de Eduardo Gomes.

O ministro da Aeronáutica, por proposta do diretor do CTA, Brig. Henrique de Castro Neves, desliga 4 alunos do 5º ano a um mês da formatura porque a turma escolheu para paraninfo o pensador católico Alceu Amoroso Lima. Na qualidade de representantes e oradores da turma foram eles desligados após uma severa Sindicância.

Noite das Baionetas: uma tentativa de Assembléia Geral para discutir o desligamento por motivos políticos de 4 alunos é reprimida à base de baionetas.

Saída de vários professores insatisfeitos com o clima de tensão da época. Professor Cantanhede, reitor do ITA, pede demissão e assume o professor Charly Künzi.

25 de junho de 1965

O Ministro da Aeronáutica, Brigadeiro Eduardo Gomes, autoriza o desenvolvimento do projeto IPD-6504 que mais tarde deu origem ao Bandeirante.

1966

Künzi, ao assumir a Reitoria do ITA, colocou como condição de sua permanência a readmissão dos alunos desligados em 1965. Porém renuncia ao cargo logo em março, pois o Brigadeiro Castro Neves não readmitiu os alunos desligados e ameaçava de demissão o professor Pompéia.

O professor Talmir Canuto Costa assume a Reitoria como interventor.

O professor Francisco Antônio Lacaz Netto assume definitivamente a Reitoria e o Brigadeiro Paulo Victor da Silva (segundo presidente do CASD) assume o comando do CTA.

1968

Problema de Jurisdição do ITA. A lei de diretrizes e bases da educação, de 27 de dezembro de 1967 tornava a jurisdição do ITA indefinida: se o ITA fosse uma escola civil, deveria estar subordinada ao MEC, pelo menos em relação ao ensino, caso contrário deveria estar sujeita ao Ministério da Aeronáutica. Na época, para que o impasse fosse solucionado, o Ministério estudou a possibilidade de conjugar o ITA e a Academia da Força Aérea (AFA) ao Comando Geral de Pesquisa e Desenvolvimento (DEPED). A posição dos alunos foi unanimemente contra a idéia.

As decisões tomadas numa das muitas assembléias gerais a respeito foram reprimidas pela direção do CTA, que ameaçou o Conselho de Representantes (CR) de desligamento da escola. Isto causou uma aglutinação dos alunos ao CASD muito mais intensa. Sentindo-se fraca frente à onda reivindicatória que havia surgido, a direção acabou por não mais reconhecer o CASD como entidade público-jurídica a partir de agosto de 1968 (por decreto presidencial), considerando ilegais seus estatutos (que haviam sido elaborados pela própria Comissão de Organização do CTA, quando da sua fundação). A idéia de se transformar o ITA numa escola militar não se concretizou.

22 de outubro de 1968

No CTA, com a presença do ministro da Aeronáutica, vários ministros de Estado, autoridades civis e militares e cerca de 15 mil pessoas, foi realizado o primeiro vôo do Bandeirante. O piloto foi José Mariotto Ferreira e o engenheiro de vôo Michel Cury.

1969

11 de Fevereiro de 1969

O Decreto-Lei 464 declara os cursos do ITA equivalentes aos seus congêneres no sistema civil (por sistema civil entenda-se subordinados ao MEC).

12 de Abril de 1969

Realizado o Baile do Bicho da Turma de 1973. O desenho do Bicho no convite do evento foi feito pelo colega Heliano Machado Cabral e se tornou símbolo da Turma.

Fins de 1969

Ao final desse ano, o CASD voltou a ser reconhecido, mas somente como entidade pública.

O CTA (Centro Técnico de Aeronáutica) passa a ser denominado Centro Técnico Aeroespacial.

1970

O primeiro título de doutor do ITA foi conferido em 1970.



História do ITA

Ferramentas pessoais