João Pedro Cavalcanti Pereira

De wikITA

Bem, talvez esse depoimento não ajude a tantos, mas espero que pelo menos ajude a alguns. Eu realmente fiquei muito emocionado com o depoimento do Bráulio, foi uma história e tanto. Meus sinceros parabéns pelo esforço, foco, dedicação e humildade. Minha história é bem diferente da dele, mas vim postar para falar em algumas coisas que eu acredito, que talvez ajudem.

Eu comecei a almejar o curso de engenharia no segundo ano do ensino médio, antes pretendia cursar direito ou economia. Desde de pequeno gostei muito da área de Ciências e de Matemática. Até o segundo ano, eu também não tinha o costume de estudar diariamente ou com alguma forma de regularidade. Porém, fui aprovado em uma seletiva para Olimpíada Internacional de Física, o que sem dúvida, foi uma das minhas melhores experiências acadêmicas.

Para resumir a história, vou dizer logo qual a maior consequência da minha participação nessa seletiva (não fui aprovado por sinal hehe): a autonomia. Passei a estudar muito sozinho, aprendendo assuntos que o professor ainda não havia dado em sala. Claro que ajuda bastante uma aula prévia, com uma boa explicação. Mas todos são capazes de construir o próprio conhecimento, e quando isso ocorre, o conhecimento, normalmente, é muito mais fundamentado do que quando você é tutelado. Isso porque é você mesmo que está raciocinando, criando as ligações, para compreender o assunto. E qualquer alteração no raciocínio, é facilmente percebida e contornada por você. Então, se eu pudesse dar uma primeira dica, seria essa: não fique esperando que alguém, que seu professor ou que qualquer pessoa diga o que e quando você deve estudar. Você conhece suas fraquezas, o que deve estudar mais ou menos. Cabe a você pegar o livro, a apostila, o caderno, e estudar.

Outra coisa que daria como conselho, seria valorizar a teoria. Tentar realmente entender o conteúdo, aprender as demonstrações das formulas, as condições para que aquele fenômeno seja verdadeiro. Quando você só estuda fazendo questões, você fica limitado àquele raciocínio. Se houver alguma alteração na raiz da questão, você pode ficar perdido. E como as provas do ITA costumam ser provas criativas e elaboradas, com questões com raciocínios diferenciados do normal, é importante ter uma boa base teórica. Claro que você também deve fazer exercícios, muitos por sinal, para aprender a colocar a teoria em prática e para adquirir agilidade e confiança na resolução dos exercícios. Mas não menospreze a teoria. Eu sempre valorizei a teoria. Pegava os livros, lia bem direitinho o conteúdo, e depois ia fazendo questão por questão. Fiz poucas provas do ITA, acho que umas 3 no total, além dos exercícios separados. Mas a base que eu tinha da teoria e dos exercícios desses livros me ajudou bastante.

Outra coisa que também acho muito importante, é o gosto pelo estudo. Acho importante você realmente tentar gostar de estudar, e adquirir o hábito de estudar regularmente. Não pensar no estudo como algo penoso, chato, como uma obrigação. Pense nele como uma oportunidade de aprender.

Por último, deixo algo que é minha opinião, mas acho que muitos não concordam. Acredito que você não precisa abdicar totalmente de um ano para alcançar esse objetivo. Se você se conhece, e sabe que precisa estudar muuuuuuito, e está disposto a isso, tudo bem. Mas acho importante ter suas horas de lazer, de esporte, de relaxar. Estive namorando durante toda a minha preparação do ITA, sempre pratiquei um esporte, saía todas as semanas, até mesmo na véspera da prova. Acho importante você relaxar um pouco, espairecer, aliviar a mente. Claro que você deve saber dosar o tempo de lazer de acordo com as suas necessidades. Mas acho que não vale a pena abdicar de toda e qualquer forma de lazer. Acho que isso é até pior na verdade. O psicológico conta muito na hora da prova.Bem, acabei não falando tanto sobre mim, nem sobre minha história, mas tentei ajudar os futuros iteanos. Falei aquilo que eu fiz e que acho que deve ajudar. Mas cada um conhece a si mesmo, e sabe a melhor maneira de estudar para si. Não busque se encaixar num modelo ou no método de estudo de alguém. Desenvolva o seu. O importante é estudar, e quando tiver estudando, realmente estudar. Não ficar com a cabeça em outro lugar. Desejo a todos um ótimo ano novo, muita força, garra e dedicação para alcançar seus sonhos. Saibam que qualquer sonho é possível, é só você realmente querer e se esforçar para que ele se realize.

Boa sorte nas próximas provas!


Turma de 2016

Ferramentas pessoais