Lima, Peru

De wikITA

Dicas postadas por Christianne Basílio e Silva na itanet em 2 de dezembro de 2010:

Estive duas vezes este ano de 2010 em Lima e posso passar algumas dicas. Os melhores lugares para se hospedar são os distritos de Miraflores e San Isidro. Caso você ainda não tenha hotel marcado, sugiro o QP ( http://www.qphotels.com/espanol/index.html ), que fica em Miraflores, quase em frente à embaixada brasileira, e tem uma excelente relação custo-benefício. Se você tiver ouvidos sensíveis, porém, é melhor procurar hotéis de alto luxo, que possuam janelas anti-ruído, pois Lima é, de longe, a metrópole mais barulhenta que conheço. O trânsito é extremamente desorganizado, e os limenhos têm uma verdadeira fixação por buzinas. Para que se tenha uma ideia, certo dia peguei um táxi e, por curiosidade, resolvi contar quantas vezes o motorista buzinaria num intervalo de dez minutos. O resultado? 23 vezes, ou seja, uma média de mais de duas buzinadas por minuto. Absolutamente inacreditável! Por falar em táxis, lá não existe qualquer regulamentação dos mesmos, nem taxímetros. O sujeito pega o carro da família, põe uma placa de "táxi" em cima e pronto. Ao pará-lo, você deve negociar o preço da corrida antes de entrar. Normalmente, com uma conversa rápida dá para abaixar em um ou dois soles o valor inicialmente proposto, mas é tudo tão barato diante do que estamos acostumados a pagar no Brasil que você provavelmente não vai querer se dar o trabalho. O contraponto é que a frota peruana, em geral, é velhíssima, composta em grande parte pelos refugos de Japão e Coreia do Sul (só agora, em 2010, o Alan García finalmente sancionou uma lei proibindo a importação de carros usados), o que faz com que o ar de Lima seja extremamente poluído. Por outro lado, as ruas de Miraflores e San Isidro - que estão para Lima, uma cidade muito desigual, mais ou menos como Ipanema e Leblon para o Rio - são limpíssimas e bastante seguras. Dá para caminhar pela orla à meia-noite sem qualquer estresse.

Quanto a passeios, para uma estada curta indico-lhe uma visita às ruínas arqueológicas de Huaca Pucclana e uma ida NOTURNA ao Parque de La Reserva, onde fica o chamado "Circuito Mágico del Agua"; os efeitos sonoros e visuais são belíssimos, e pode-se caminhar em segurança, longe do caos do trânsito. É interessante também passear pelo Centro Histórico (isso de dia, por favor!), visitar a Catedral de Lima e, em seguida, subir o Cerro San Cristóbal, de onde se tem uma vista panorâmica de toda a cidade (mas escolha carro e motorista confiáveis para o trajeto, pois trata-se de uma estrada extremamente íngreme e perigosa). Uma voltinha no Centro Comercial Larcomar, que fica em Miraflores, encravado em uma linda falésia, também é bem agradável; há vários bares ali, de onde se descortina uma bela vista para o mar. Por falar em mar, as praias de Lima não são voltadas especificamente para o banho; a água é limpa, porém muito fria, e a faixa de areia é estreita e escura, de origem vulcânica. O negócio lá é o surfe, para quem pratica. Quanto a baladas, ouvi falar muito de um balneário chamado Asia, a cerca de uma hora de carro ao sul de Lima, que, pelas descrições, seria algo como Búzios ou Riviera de São Lourenço, mas não cheguei a ir.

Para encerrar este meu pequeno tratado turístico, passo agora ao que é, para mim, o melhor de Lima: a gastronomia internacional absolutamente fantástica (além de muito barata para nossos padrões). Restaurante imperdíveis: Cala (embaixo da falésia, à beira-mar - procure ir durante o dia, para aproveitar a vista), La Gloria (não deixe de comer um prato com "conchas" - as nossas vieiras), Malabar, Pescados Capitales, Rafael. Excelentes: Panchita, Punta Sal, Tanta, La Bodega de la Trattoria (em frente a Huaca Pucclana; experimente a torta "cinco leches") e La Bistecca (esquema "coma o quanto conseguir por um preço fixo"). Oh, sim, dê também um jeito de provar a torta "tres leches al Baileys" do Bravo. Outro restaurante muito famoso de lá é o Astrid&Gastón, mas a esse não consegui ir, pois é imprescindível reservar com antecedência.

Ufff! Escrevi muito? Fico por aqui, então, com uma última dica: esqueça o seu guarda-chuva, pois, apesar de ficar à beira do Pacífico e de apresentar uma boa umidade relativa do ar, em Lima não chove há 27 anos!!! (É sério... Os postos de gasolina nem sequer têm cobertura... Curioso, não?)


Página principal

Ferramentas pessoais