Ozílio Carlos da Silva

De wikITA

Tabela de conteúdo

Depoimentos de colegas

Depoimento do Magalhães (T63)

(Enviado ao grupo de e-mails Itaturma63 em 11/3/14.)

Ozílio faleceu ontem à noite, em sua casa, como decorrência de um ataque cardíaco fulminante. O processo cancerígeno de que padecia estava sob controle.

Depoimento do Irajá (T63)

(Em e-mail ao Itaturma63 em 11/3/14.)

Fiquei super triste com o passamento do Ozílio pois, além de ter sido nosso colega, quando convivemos muito com ele também pelo DOO, foi meu melhor amigo nos nossos tempos profissionais. Comecei minha carreira no PAR com ele quando era Chefe da Homologação de Aviões e depois como mão direita do Ozires no projeto do Bandeirante. Fomos juntos para a Embraer no início de 1970, onde ele passou por vários cargos na diretoria, sempre ao lado do Ozires, do Guido e de outros mais. O Ozílio sempre confiou muito em mim e, graças a isso, eu cresci muito na empresa. Foi ele, como Diretor Comercial, que me mandou para Paris em 1982 com a missão de construir a filial em Le Bourget. Depois disso, quando assumiu a presidência da Embraer (o Ozires foi ser Ministro do Collor) ele convidou-me para pegar a Diretoria de Produção, um cargo muito pesado, abrangendo toda a infraestrutura de fabricação da empresa (na época com quase 7 mil funcionários) e onde fiquei de 1986 até 1991.

Nossas familias foram muito amigas; meu filho Guto foi colega de turma (T89) do Daniel, filho do Ozílio, que hoje está em um alto cargo na diretoria da Boeing; a minha filha Márcia foi a melhor amiga da Bia do Ozílio e as esposas também sempre foram grandes amigas (criamos juntos os nossos filhos no H-20 do CTA).

Imaginem como estou sentido com essa perda do meu amigo! Não me conformo que estou aqui nos USA hoje e não posso estar lá com a família dele... Ainda há poucas semanas comuniquei-me mais uma vez com ele por e-mail (falávamo-nos com muita frequência) e lhe enviei um exemplar do livro O Grande Circo, de Pierre Clostermann, que ele apreciou demais, pois nos lembrou muito do Max Holste, que sempre comentava resmungando que o Clostermann passou a perna nele na empresa que tinham juntos na França etc.

Depoimento do Hitoshi (T63)

(Em e-mail ao Itaturma63 em 11/3/14.)

Se me lembro bem, o Ozílio foi diretor do DOO, o órgão do CASD que zelava pela disciplina consciente. Tenho-o na lembrança como um aluno e dirigente de fina educação, inteligente, elegante nas maneiras de falar e de tratar com colegas. Era um líder nato. Um cara fino, como se diz.

Depoimento do Bandel (T63)

(Em e-mail ao Itaturma63 em 13/3/14.)

Além dessas recordações do “Ozílio sério”, diretor do DOO, respeitado, de fino trato com os colegas, permanece na minha memória também o “outro Ozílio”: lembro de um amigo alegre, brincalhão, um ótimo companheiro nas disputas esportivas universitárias. Fomos colegas na equipe de vôlei do ITA. Um grande esportista.

imagem:OzilioCNF.JPG

Links Externos

  1. Resumo do TG
  2. Entrevista à TV Isonet em 2007
  3. Aos 78 anos, morre um dos fundadores da Embraer

Turma de 1961

Ferramentas pessoais