Prudente José de Moraes Costa

De wikITA

Depoimento de Hans Harro Heyde em e-mail de março de 2016:

Eu e o Prudente estudamos o ginásio e o cientifico (terceirão), internos no Colégio Arquidiocesano de São Paulo no bairro de Vila Mariana.
O Arquidiocesano estimulava os alunos: a cada mês havia um boletim , e os alunos eram classificados, o melhor era o Primeiro da classe.
Todos sabiam quem eram os primeiros e quem eram os últimos.
O dia na escola se dividia em aulas, recreios, refeições e estudos
Uma salão enorme reunia alunos de idade próxima em carteiras duplas, onde os alunos estudavam e faziam suas lições. Em silencio!
O Prudente, bisneto do Presidente Prudente e sobrinho de Dona Carmem Prudente, era meu colega de carteira e dividíamos as medalhas de
matemática, física e química, uma vez ele era ouro, na próxima era eu, e assim ia.
O Prudente, o Portinho (*) e eu éramos "unha e carne".
Ao sair do ITA o Prudente, ao que me lembro, foi trabalhar na Pirelli Cabos Elétricos.
Era diretor comercial da Indústria Cerâmica Paraná S/A (INCEPA) em Campo Largo-PR.
Faleceu em Curitiba vítima de um câncer por volta de 1987 para minha enorme tristeza.


(*) Luiz Antônio Ribeiro Porto, autor do livro Tres Artes onde cita os amigos inseparáveis dos tempos do Arquidiocesano.

Da esquerda para a direita: Portinho, Hans e Prudente cruzando cachimbos em Itapevi, 1956
Do álbum de formatura do Colégio Arquidiocesano em 1956

Reminiscências enviadas pelo Portinho em e-mail de março de 2016:

O Prudente era um garoto muito comportado, e um dia se apaixonou por uma garota que morava perto de sua casa. Chamava-se Helena... a garota era muito bonitinha, mas tinha umas manchas no rosto, e a coitadinha passou a ser conhecida em nossa turma por Vaquinha Mococa.

O Perú, como nós o chamávamos tinha umas respostas muito engraçadas. Um dia fui ao Autódromo de Interlagos e encontrei com ele. Faziam mais ou menos 10 anos que não nos víamos. Claro, foi aquela alegria de encontrar meu velho amigo. Quando perguntei quantos filhos ele tinha, veio a resposta: "- A última vez que contei tinha cinco !"
Infelizmente foi esta a última vez que o encontrei, pouco tempo depois fiquei sabendo de seu falecimento.

A irmã do Prudente, Maria de Lourdes acaba de lançar um livro, sobre o clã dos Prudentes. O livro chama-se ROSINA (nome da mãe dele) e é muito interessante pois é um relato histórico com fotos e revelações muito interessantes.

Links externos

Resumo do TG


Turma de 1962

Ferramentas pessoais