RUSD

De wikITA

(Diferença entre revisões)
m
Linha 1: Linha 1:
-
[[RUSD|RUSD - Rádio Universitária Santos Dumont]]
+
TEXTO PARA ARRUMAR...
 +
 
 +
==Introdução==
 +
RUSD=Rádio Universitária Santos Dumont
 +
 
Fundada em 3 de Setembro de 1959 pelos iteanos XYZ, etc, etc.
Fundada em 3 de Setembro de 1959 pelos iteanos XYZ, etc, etc.
 +
 +
RUSD
 +
 +
A idéia de se criar uma emissora no ITA nasceu em fins de 1957, do Trabalho Individual (atual TG – trabalho de Graduação) do aluno Carlos de Paiva Lopes (Ele-57), que projetou e construiu um transmissor de 1kW.
 +
 +
 +
Em 1958, tentando levar adiante a idéia, foram feitas reuniões entre professores, alunos e membros da Divisão de Alunos com a finalidade de se superar as dificuldades encontradas na obtenção e montagem dos demais componentes da estação. Foi assim que ainda nesse ano conseguiu-se a licença oficial para se operar a Rádio. Um pequeno transmissor interno de ondas médias passou a funcionar com o objetivo de treinar sonoplastas, locutores e programadores. Foi uma fase realmente divertida, em que o estúdio era uma pequena sala e o transmissor, um aparelho simples preso ao qual se encontrava uma folha de papel com os dizeres: “Perigo! Alta tensão!” Em meio ao emaranhado de fios, um sonoplasta preocupava-se em trocar os discos corretamente e em mandar o som para um locutor improvisado. Edzard Van Holthe, o diretor da Rádio na época, não conseguiu, entretanto, manter o entusiasmo inicial dos rapazes, solicitados que eram cada vez mais pelos estudos. Em maio de 1958 a rádio morria.
 +
 +
O ano de 1959 apresentou maiores perspectivas para o projeto RUSD. Embora nessa época a construção da Rádio fosse considerada tarefa quase impossível, o projeto foi adiante. Em uma reunião que ficou famosa, os três únicos alunos que tinham persistido na idéia (Waldecy Gonçalves, Aerov-60, – então diretor do DID e presidente do CASD no ano seguinte, Luiz Oscar Dourado Falcão, Aerov-61, e Helmut Rüdiger, Ele-60) resolveram dar tudo de si pela concretização do plano inicial. Com o auxílio de calouros daquele ano, deu-se início à construção do estúdio. Dificuldades sérias de aquisição de material são superadas ela contribuição desinteressada de várias firmas. Com verba gentilmente cedida pela fundação Santos-Dumont, pôde-se finalmente comprar o material que não se ganhou. O transmissor, já há um tempo montado, apresentava irregularidades e teve de sofrer modificações. Assim, a 16 de junho de 1959, entra a RUSD no ar, em caráter experimental. Envia-se um apelo aos ouvintes no sentido de escreverem para a rádio: testava-se, assim, a qualidade do som e o alcance da emissora. Cartas animadoras chegam do norte e do sul do país, bem como da Europa e dos Estados Unidos. As transmissões prosseguem ininterruptamente, à medida que se dá o acabamento final na montagem do estúdio. No dia 3 de setembro, por fim, após os retoques finais que só terminaram às 4 horas da madrugada, é a RUSD inaugurada oficialmente pelo representante do Ministro da Aeronáutica. A força e a fibra de um punhado de jovens haviam transformado um impossível projeto na realidade RUSD – a primeira emissora de rádio estudantil do país.
 +
 +
 +
Depoimento de Luiz Pinto de Carvalho (ELE-63) em 6 de março de 2000:
 +
 +
Eu tive oportunidade de estar com o Marechal Casimiro algumas vezes (afinal, fui aluno de 1959 a 1963, quando ele ainda era Diretor do CTA).  Estava no primeiro ano e trabalhava na RUSD (o presidente era o Helmut Rüdiger, ELE 60, falecido), e estávamos construindo um estúdio no H8C, com apoio do Montenegro e ajuda material do CTA; um dia eu estava com um caminhão do CTA (e o motorista, naturalmente) para carregar tijolos para lá e paramos algum tempo, por algum motivo que não lembro, em frente ao H-13, ainda em construção; o Montenegro estava lá, em pé, e precisava de um caminhão; chamou o motorista e perguntou com quem estava o caminhão; o motorista apontou para mim (eu estava observando isso; afinal, estava curioso, pois era a primeira vez que via o Montenegro). Ele me chamou e perguntou-me para que precisava do caminhão. Expliquei; ele pensou alguns segundos e depois balançou que sim com a cabeça e virou as costas (querendo dizer que o caminhão ficava comigo...).
 +
 +
Pouco tempo depois, a RUSD tinha começado a transmitir em ondas curtas, 17,725 MHz, para ser preciso, com 1 kW de potência. Recebíamos cartas de várias partes do mundo reportando recepção dos sinais, mas recebíamos, também, reclamações de moradores do CTA por causa de interferências em TV... O Helmut mandou-me falar com o Brigadeiro, que estava preocupado com a interferência. Fui na então chamada Direção Geral, num barracão de tijolos aparentes ao lado do antigo Centro Médico. Ia-se entrando e chegava-se à sala do Brigadeiro, sem sentinelas, ordenanças ou chefes-de-gabinete (apenas Dona Elsie, a secretária). Entrava-se na sala sem precisar ser anunciado. Estive lá duas vezes; numa delas fui meter-me a besta de dizer que talvez a culpa não fosse de harmônicos da estação, mas defeito de alguns televisores; o resultado foi um belo "esporro" do Brigadeiro, que disse que não poderia mandar consertar todos os televisores do CTA... depois ele próprio sugeriu uma enquête, a ser feita de casa em casa, distribuindo um papelzinho, o que foi feito, eu próprio e um soldado da Aeronáutica fizemos a distribuição e a coleta. O fato é que depois a RUSD continuou a funcionar, tendo tido ajuda do Prof Plínio Tissi e do Prof. Wallauscheck para fazer filtros contra a interferência, na saída para a antena.
 +
 +
 +
 +
1963: Primeira rádio brasileira a transmitir em FM.
 +
Criação da RESD (Rádio Educativa Santos-Dumont), como forma de contribuição do estudante universitário contra o analfabetismo.
 +
 +
1974: Cassação de seus direitos de transmissão pela RADIOBRÁS.
 +
 +
1982: O Trabalho de Graduação de dois alunos de eletrônica da turma 82 – “Projeto e Montagem de um excitador FM para a rádio-difusão sonora” – despertou um interesse pela RUSD, após alguns anos de desativada. Ainda no primeiro semestre desse ano, foram realizados testes em 95,5 MHz, com potência de 0,1W, suficiente para cobrir todo o H8 e imediações e incentivar os alunos a participarem da reativação da rádio. No semestre seguinte, encerraram-se as transmissões e iniciaram-se os trabalhos de organização e legalização da RUSD.
 +
 +
1983: Durante as férias, um grupo de alunos participantes da CV83 foi encarregado de pesquisar projetos para transmissores FM na Europa. Foi adquirido então um “bit” para transmissor de 60 watts, trazendo-se ainda outras idéias e sugestões para a Rádio. Embora a parte técnica da rádio estivesse funcionando bem (estavam prontos o modulador FM, o amplificador de RF, o multiplex e a sintonia digital), os trabalhos de legalização da rádio, os quais se iniciaram em final de abril, demoravam e desgastavam os alunos. A administração do ITA apoiava a iniciativa através do professor Darwin, que participou de várias reuniões, formulando sugestões e auxiliando na recuperação do material de rádio. Os professores Obemor e Octanny, por sua vez, cooperavam nos aspectos legais da Rádio – em especial na elaboração dos estatutos juntamente com a equipe da RUSD, a qual tinha permissão para ir ao ar em baixa potência visando testes, divulgação da OI e informação geral.
 +
 +
1984: Havia um transmissor de 40 watts montado e funcionando e uma antena em boa altura para transmissão para boa parte da cidade de São José. Contudo, problemas de ordem burocrática (legalização junto ao Ministério de Comunicação e autorização do Ministério da Aeronáutica) e problemas técnicos (mesa de som com ruído) impediam que a rádio funcionasse. Para conseguir o único canal FM educativo de São José dos Campos, era necessário criar uma fundação dentro dos padrões do MEC para depois requerer o canal ao MINCOM. Nesse sentido, foram criados os estatutos da Fundação Casimiro Montenegro Filho.
 +
 +
22 de abril de 1986: Entrou no ar com um novo transmissor de pequena potência construído por alunos. Radiodifusão restrita apenas ao H8. O transmissor foi montado pelo Carlos Ribas (Ele-89) e José Mantovani (Ele-88), baseado em um esquema publicado em uma revista francesa. Era um transmissor estéreo baseado em um CI sintetizador de freqüência que permitia ser programado digitalmente para qualquer freqüência de operação dentro do espectro de FM comercial em passos de 0,1 MHz. Escolheram-se 105,7 MHz para a freqüência de operação.
 +
Os componentes do transmissor foram doados pela Embraer. A antena foi projetada pelos dois alunos e fabricada na Embraer e o amplificador de RF (1 Watt) foi doado pela Tecnasa. Com esse transmissor, a RUSD abrangia boa parte de São José.
 +
 +
1988: A programação da RUSD era transmitida para todo o CTA.
 +
Murilo Pagnano Ribeiro (Infra-91) começou a pintar o mural da RUSD – um desenho com quatro mulheres semi-nuas. Ele iniciou o mural em 1988 e terminou em 1989. Morreu logo depois de se formar, por afogamento (quando surfava).
 +
 +
1989: A rádio operava com mais de 100 pessoas participando ativamente, entre diretores, assessores e programadores. Havia cerca de 14 horas de programação diária, desde 13:00h até 3:00h da madruga... Participavam professores, alunos do CSTC (Curso Superior de Tecnologia em Computação), pessoal da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, programas infantis, programas religiosos, jornal diário (RUSD Notícias), entrevistas (Reitores, Brigadeiros, professor Lacaz Neto - essa tem gravada, Flory - escritor), visitas de cantores (tem um CD da Cássia Eller com sua dedicatória para a RUSD), transmissões ao vivo de bandas tocando, cobertura de eventos esportivos, karaokê...
 +
 +
1998: Transmissão via internet
 +
 +
2000: Reforma da sala
De prefixo ZYR-232, transmitindo em ondas curtas, foi a sucessora da [[RISD]], Rádio Interna Santos Dumont, que transmitia apenas para o [[H8]]. Várias pessoas do mundo todo enviavam correspondência dizendo que tinham ouvido a [[RUSD]].
De prefixo ZYR-232, transmitindo em ondas curtas, foi a sucessora da [[RISD]], Rádio Interna Santos Dumont, que transmitia apenas para o [[H8]]. Várias pessoas do mundo todo enviavam correspondência dizendo que tinham ouvido a [[RUSD]].

Edição de 23h20min de 29 de maio de 2010

TEXTO PARA ARRUMAR...

Introdução

RUSD=Rádio Universitária Santos Dumont


Fundada em 3 de Setembro de 1959 pelos iteanos XYZ, etc, etc.

RUSD

A idéia de se criar uma emissora no ITA nasceu em fins de 1957, do Trabalho Individual (atual TG – trabalho de Graduação) do aluno Carlos de Paiva Lopes (Ele-57), que projetou e construiu um transmissor de 1kW.


Em 1958, tentando levar adiante a idéia, foram feitas reuniões entre professores, alunos e membros da Divisão de Alunos com a finalidade de se superar as dificuldades encontradas na obtenção e montagem dos demais componentes da estação. Foi assim que ainda nesse ano conseguiu-se a licença oficial para se operar a Rádio. Um pequeno transmissor interno de ondas médias passou a funcionar com o objetivo de treinar sonoplastas, locutores e programadores. Foi uma fase realmente divertida, em que o estúdio era uma pequena sala e o transmissor, um aparelho simples preso ao qual se encontrava uma folha de papel com os dizeres: “Perigo! Alta tensão!” Em meio ao emaranhado de fios, um sonoplasta preocupava-se em trocar os discos corretamente e em mandar o som para um locutor improvisado. Edzard Van Holthe, o diretor da Rádio na época, não conseguiu, entretanto, manter o entusiasmo inicial dos rapazes, solicitados que eram cada vez mais pelos estudos. Em maio de 1958 a rádio morria.

O ano de 1959 apresentou maiores perspectivas para o projeto RUSD. Embora nessa época a construção da Rádio fosse considerada tarefa quase impossível, o projeto foi adiante. Em uma reunião que ficou famosa, os três únicos alunos que tinham persistido na idéia (Waldecy Gonçalves, Aerov-60, – então diretor do DID e presidente do CASD no ano seguinte, Luiz Oscar Dourado Falcão, Aerov-61, e Helmut Rüdiger, Ele-60) resolveram dar tudo de si pela concretização do plano inicial. Com o auxílio de calouros daquele ano, deu-se início à construção do estúdio. Dificuldades sérias de aquisição de material são superadas ela contribuição desinteressada de várias firmas. Com verba gentilmente cedida pela fundação Santos-Dumont, pôde-se finalmente comprar o material que não se ganhou. O transmissor, já há um tempo montado, apresentava irregularidades e teve de sofrer modificações. Assim, a 16 de junho de 1959, entra a RUSD no ar, em caráter experimental. Envia-se um apelo aos ouvintes no sentido de escreverem para a rádio: testava-se, assim, a qualidade do som e o alcance da emissora. Cartas animadoras chegam do norte e do sul do país, bem como da Europa e dos Estados Unidos. As transmissões prosseguem ininterruptamente, à medida que se dá o acabamento final na montagem do estúdio. No dia 3 de setembro, por fim, após os retoques finais que só terminaram às 4 horas da madrugada, é a RUSD inaugurada oficialmente pelo representante do Ministro da Aeronáutica. A força e a fibra de um punhado de jovens haviam transformado um impossível projeto na realidade RUSD – a primeira emissora de rádio estudantil do país.


Depoimento de Luiz Pinto de Carvalho (ELE-63) em 6 de março de 2000:

Eu tive oportunidade de estar com o Marechal Casimiro algumas vezes (afinal, fui aluno de 1959 a 1963, quando ele ainda era Diretor do CTA). Estava no primeiro ano e trabalhava na RUSD (o presidente era o Helmut Rüdiger, ELE 60, falecido), e estávamos construindo um estúdio no H8C, com apoio do Montenegro e ajuda material do CTA; um dia eu estava com um caminhão do CTA (e o motorista, naturalmente) para carregar tijolos para lá e paramos algum tempo, por algum motivo que não lembro, em frente ao H-13, ainda em construção; o Montenegro estava lá, em pé, e precisava de um caminhão; chamou o motorista e perguntou com quem estava o caminhão; o motorista apontou para mim (eu estava observando isso; afinal, estava curioso, pois era a primeira vez que via o Montenegro). Ele me chamou e perguntou-me para que precisava do caminhão. Expliquei; ele pensou alguns segundos e depois balançou que sim com a cabeça e virou as costas (querendo dizer que o caminhão ficava comigo...).

Pouco tempo depois, a RUSD tinha começado a transmitir em ondas curtas, 17,725 MHz, para ser preciso, com 1 kW de potência. Recebíamos cartas de várias partes do mundo reportando recepção dos sinais, mas recebíamos, também, reclamações de moradores do CTA por causa de interferências em TV... O Helmut mandou-me falar com o Brigadeiro, que estava preocupado com a interferência. Fui na então chamada Direção Geral, num barracão de tijolos aparentes ao lado do antigo Centro Médico. Ia-se entrando e chegava-se à sala do Brigadeiro, sem sentinelas, ordenanças ou chefes-de-gabinete (apenas Dona Elsie, a secretária). Entrava-se na sala sem precisar ser anunciado. Estive lá duas vezes; numa delas fui meter-me a besta de dizer que talvez a culpa não fosse de harmônicos da estação, mas defeito de alguns televisores; o resultado foi um belo "esporro" do Brigadeiro, que disse que não poderia mandar consertar todos os televisores do CTA... depois ele próprio sugeriu uma enquête, a ser feita de casa em casa, distribuindo um papelzinho, o que foi feito, eu próprio e um soldado da Aeronáutica fizemos a distribuição e a coleta. O fato é que depois a RUSD continuou a funcionar, tendo tido ajuda do Prof Plínio Tissi e do Prof. Wallauscheck para fazer filtros contra a interferência, na saída para a antena.


1963: Primeira rádio brasileira a transmitir em FM. Criação da RESD (Rádio Educativa Santos-Dumont), como forma de contribuição do estudante universitário contra o analfabetismo.

1974: Cassação de seus direitos de transmissão pela RADIOBRÁS.

1982: O Trabalho de Graduação de dois alunos de eletrônica da turma 82 – “Projeto e Montagem de um excitador FM para a rádio-difusão sonora” – despertou um interesse pela RUSD, após alguns anos de desativada. Ainda no primeiro semestre desse ano, foram realizados testes em 95,5 MHz, com potência de 0,1W, suficiente para cobrir todo o H8 e imediações e incentivar os alunos a participarem da reativação da rádio. No semestre seguinte, encerraram-se as transmissões e iniciaram-se os trabalhos de organização e legalização da RUSD.

1983: Durante as férias, um grupo de alunos participantes da CV83 foi encarregado de pesquisar projetos para transmissores FM na Europa. Foi adquirido então um “bit” para transmissor de 60 watts, trazendo-se ainda outras idéias e sugestões para a Rádio. Embora a parte técnica da rádio estivesse funcionando bem (estavam prontos o modulador FM, o amplificador de RF, o multiplex e a sintonia digital), os trabalhos de legalização da rádio, os quais se iniciaram em final de abril, demoravam e desgastavam os alunos. A administração do ITA apoiava a iniciativa através do professor Darwin, que participou de várias reuniões, formulando sugestões e auxiliando na recuperação do material de rádio. Os professores Obemor e Octanny, por sua vez, cooperavam nos aspectos legais da Rádio – em especial na elaboração dos estatutos juntamente com a equipe da RUSD, a qual tinha permissão para ir ao ar em baixa potência visando testes, divulgação da OI e informação geral.

1984: Havia um transmissor de 40 watts montado e funcionando e uma antena em boa altura para transmissão para boa parte da cidade de São José. Contudo, problemas de ordem burocrática (legalização junto ao Ministério de Comunicação e autorização do Ministério da Aeronáutica) e problemas técnicos (mesa de som com ruído) impediam que a rádio funcionasse. Para conseguir o único canal FM educativo de São José dos Campos, era necessário criar uma fundação dentro dos padrões do MEC para depois requerer o canal ao MINCOM. Nesse sentido, foram criados os estatutos da Fundação Casimiro Montenegro Filho.

22 de abril de 1986: Entrou no ar com um novo transmissor de pequena potência construído por alunos. Radiodifusão restrita apenas ao H8. O transmissor foi montado pelo Carlos Ribas (Ele-89) e José Mantovani (Ele-88), baseado em um esquema publicado em uma revista francesa. Era um transmissor estéreo baseado em um CI sintetizador de freqüência que permitia ser programado digitalmente para qualquer freqüência de operação dentro do espectro de FM comercial em passos de 0,1 MHz. Escolheram-se 105,7 MHz para a freqüência de operação. Os componentes do transmissor foram doados pela Embraer. A antena foi projetada pelos dois alunos e fabricada na Embraer e o amplificador de RF (1 Watt) foi doado pela Tecnasa. Com esse transmissor, a RUSD abrangia boa parte de São José.

1988: A programação da RUSD era transmitida para todo o CTA. Murilo Pagnano Ribeiro (Infra-91) começou a pintar o mural da RUSD – um desenho com quatro mulheres semi-nuas. Ele iniciou o mural em 1988 e terminou em 1989. Morreu logo depois de se formar, por afogamento (quando surfava).

1989: A rádio operava com mais de 100 pessoas participando ativamente, entre diretores, assessores e programadores. Havia cerca de 14 horas de programação diária, desde 13:00h até 3:00h da madruga... Participavam professores, alunos do CSTC (Curso Superior de Tecnologia em Computação), pessoal da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, programas infantis, programas religiosos, jornal diário (RUSD Notícias), entrevistas (Reitores, Brigadeiros, professor Lacaz Neto - essa tem gravada, Flory - escritor), visitas de cantores (tem um CD da Cássia Eller com sua dedicatória para a RUSD), transmissões ao vivo de bandas tocando, cobertura de eventos esportivos, karaokê...

1998: Transmissão via internet

2000: Reforma da sala

De prefixo ZYR-232, transmitindo em ondas curtas, foi a sucessora da RISD, Rádio Interna Santos Dumont, que transmitia apenas para o H8. Várias pessoas do mundo todo enviavam correspondência dizendo que tinham ouvido a RUSD.

O estúdio da RUSD ficava no H8. A sua antena foi projetada pelo professor Chen-To Tai, que tinha vindo da Ohio State University para o ITA.

A alma da RUSD foi o Helmut Antonio Rüdiger, da T60, que se dedicava intensamente a ela. Ele ficava muito feliz quando chegava correspondência de várias partes do mundo, escritas por pessoas que captavam a rádio.

Inicialmente houve na RUSD um único programa regular, isto é, transmitido diariamente e que durava uma hora: ele foi introduzido e mantido por Valdemar Setzer (ELE63), e transmitia música clássica. O nome que ele lhe deu foi A Música Eterna; o prefixo era um trecho do último movimento da 5a. sinfonia de Beethoven. Setzer costumava ir às casas dos professores e gravar as músicas que seriam transmitidas, precedidas de comentários falados por ele ao vivo. Um grande colaborador, que tinha uma vasta discoteca, foi o Prof. Luiz Valente Boffi.

Entre 1975 e 1979 a RUSD esteve completamente desativada, sem qualquer forma de programação e/ou transmissão. O estúdio, com isolamento acústico, tinha uma mesa para o operador com dois toca-discos e um toca-fitas de rolo, existindo ainda uma boa quantidade de discos de vinil guardados, vários de 78rpm. Havia num dos ambientes um transmissor de FM não instalado e inoperante que, segundo alguns, teria sido o TG de um ou dois alunos, usado para as transmissões da RUSD alguns anos antes. Nos arquivos, podiam ser encontradas várias correspondências mantidas com outras rádios, inclusive de outros países.

No final dos anos 80 a RUSD voltou a ser muito ativa no H8.

O Bagual se lembra de bons programas, como o "Canta Nordeste", "Koyaanisqatsi", "Delta H negativo: o programa exotérmico", e também do programa do Primo: - Você está ouvindo Audiência Zero. Vamos ouvir agora, Mozart.

Nessa época a RUSD tinha até um noticiário comandado pelo Cegonha e o Bagual tinha que sair correndo do treino de basquete pra dar notícias de Astronomia. Era muito legal.

Alguns detalhes sobre a programação da RUSD através dos tempos podem ser encontrados em:

Maurício de Arruda

Rogério Alessandro da Silva Passos

Luis Eduardo Santos Coelho Netto


Glossário

Ferramentas pessoais