Serenata às três da madrugada

De wikITA

O texto a seguir foi enviado pelo Luis Jesus Kantek y Garcia Navarro da T68

Não sei se este trote ainda é aplicado, mas quando eu era bixo (e serei sempre bixo, pois quem nasce bixo, morre bixo) havia um trote que consistia no seguinte:

Após o apagar das luzes, terminados os intermináveis gagás, 13 chacais ou veteranos entrevam sorrateiramente num apartamento de bixos e 12 deles se posicionavam um na cabeceira e outro nos pés de cada uma das seis camas ocupadas por dormentes e inocentes bixos. O 13º desligava as chaves elétricas gerais e colocava bombinhas com espoleta elétrica em todas as tomadas do apartamento. A um sinal deste veterano, todos pegavam a cama à sua frente e com colchão, bixo e tudo o mais, faziam um 180º no eixo longitudinal do berço e saiam correndo.

O duro era acordar com a cama por cima de você. A enxurrada de impropérios não deve ser transcrita aqui por respeito aos leitores. Então o bixo ia acender a luz para ver o que tinha acontecido e... nada. Tudo continuava escuro pois a chave geral tinha sido desligada. Alguém (provavelmente um futuro ELE) lembrava de religar os circuitos. Só que, ao fazê-lo, ocorria uma pluri-explosão que atordoava a todos.

Os veteranos ao longe se deliciavam...

Bem esse era o trote, mas naquela noite estava eu com cólicas (primeiros sintomas do mal que acabou me tirando do ITA – Graças a Deus, hoje em dia já perfeitamente curado) remoendo-me acordado na cama enquanto todos os colegas dormiam. Na semi-escuridão do apartamento vi uns vultos chegando perto de minha cama. Abri um berreiro com imprecações múltiplas. Todos acordaram e acenderam as luzes. O trote foi abortado no nosso apartamento. Os veteranos não esperando tal reação, se retiraram desconcertados. A paz voltou e com ela a escuridão das luzes apagadas. Ouvimos ao longe os ecos do trote em outros apartamentos: as imprecações, a explosão e mais indizíveis palavras.

Acabou a farra e todos, menos eu, com cólicas, dormiam quando um coral de frustrados veteranos se juntou do lado de fora de minha janela e começou a cantar uma serenata, acordando a todos novamente:

  • (com a melodia do Hino dos fuzileiros navais dos USA “From the hills of Montezuma....”)
    • O Kantek perdeu o pini-ico
    • E não tem onde cagar.
    • Como é que o Kantek
    • Um garoto tão legal
    • Foi perder o seu pini-ico
    • E não tem onde cagar.

No dia não achei graça nenhuma. Mas hoje, às vezes, me vejo cantarolando ou murmurando a melodia e podem pensar que sou USA-maníaco, mas não! São saudades do ITA e do tempo de bixo.

Luis Kantek (Vapapoli)


Página principal

Ferramentas pessoais