Transição para a Área Administrativa

De wikITA

Nós iteanos somos excelentes técnicos, infelizmente nem todas as empresas possuem carreiras em Y que permitam que o salário continue evoluindo dentro da área técnica.

É interessante que após uns 5 anos de formado, quando já tiver alguma experiência na área técnica e também nos problemas administrativos que permeiam o dia a dia de uma empresa você se prepare para uma transição para a área administrativa, para ocupar chefias de departamento, etc.

O caminho mais escolhido é o de se fazer um MBA em uma escola de renome que mude um pouco o perfil do iteano de essencialmente técnico para o de uma pessoa mais engajada no resultado global da empresa, com uma visão sistêmica e com muito mais tolerância aos procedimentos burocráticos da administração das empresas.

Assim como o diploma do ITA é valorizado por ter um valor intrínseco, procure fazer um MBA em alguma instituição de renome, pelo menos na FGV (no caso do OneMBA), ESPM ou até no IBMEC. Caso tenha dinheiro suficiente, há boas oportunidades no exterior.

Os cursos são muito fáceis quando comparados ao grau de exigência na graduação do ITA. Mas não desperdice a chance de aprender o que for ensinado.

Vale lembrar que há uma associação nacional que estabelece padrões de qualidade para estes cursos. Segundo a ANAMBA (Associação Nacional de MBA - http://www.anamba.org.br/), que reúne as melhores ofertas, somente podem ser chamados assim cursos que atendam aos 12 padrões de credenciamento. Entre eles, a carga-horária mínima é de 480 horas-aula. Não se deixe levar por ofertas mais modestas pois elas não entregarão o resultado esperado.


Tabela de conteúdo

Consultorias de Estratégia

A carreira em consultoria de estratégia consiste em um caminho mais curto para aquele que já tem em mente migrar para a área administrativa desde o curso de graduação. Estas empresas estão entre as que mais contratam iteanos recém-formados hoje em dia. Elas oferecem um plano de carreira agressivo para o ingressante. Via de regra, o recém-formado entra no cargo de analista de negócios, ou equivalente, e ganha uma experiência de cerca de três anos dentro da empresa antes de partir para um MBA internacional, que pode ser patrocinado pela consultoria. Algumas consultorias têm o plano de carreira mais flexível, não exigindo de seus funcionários que eles cursem MBA. Tendo isso em vista, o interessado deve avaliar quais são suas pretensões profissionais e de que maneira o MBA as afetará antes mesmo de ingressar na consultoria. No caso de dúvida, recomenda-se que ele opte por uma empresa que tenha o plano de carreira mais flexível.

Exemplos de empresas de consultoria estratégica: McKinsey, Booz & Co., BCG, ATKearney, Advisia, Value Partners, Monitor, K2.

Escolas com MBA

ESPM

Oferece um MBA Executivo com 600 horas de duração e que custa em torno de R$ 40.000,00. Visa à formação um profissional com capacidade de liderar e aplicar conhecimento em situações novas e não-familiares, e que seja apto a lidar com eventos imprevistos e gerenciar em ambientes complexos e em transformação. Para tanto, além de um currículo generalista em negócios, a possibilidade de especialização na área de excelência da ESPM (Marketing ou Marketing de Serviços) e complementação um amplo espectro de disciplinas.

Em linha com os critérios de aceite internacionais, este curso foi criado para atender a necessidade de desenvolvimento de executivos com mais de 03 anos de experiência em cargos gerenciais (ou de tomada de decisão) e com equipes subordinadas.

Oferece ainda a possibilidade de:

1. Obtenção de uma Dupla Certificação ("Dual Degree") pela parceria ESPM - FIU (Flórida International University; ou

2. Obtenção dos créditos internacionais em parceiros acadêmicos da ESPM no exterior.


http://www.espm.br/Unidades/SaoPaulo/PosGraduacao/MBAExecutivo/


FGV

Apresenta um curso bem conceituado nesta área. Trata-se do OneMBA, com duração de 21 meses e que é ministrado por quatro escolas internacionais em conjunto. Custa R$ 94.600,00.

http://www.fgv.br/onemba/

Quanto as outras ofertas de MBA da FGV (inclusive as múltiplas que acontecem Brasil afora), o ensino é realmente superficial pela baixa carga horária (360 horas-aula) e acaba sendo fácil (não é acreditado pela Associação Nacional de MBA - ANAMBA). Metade dos alunos de cada turma tem o curso pago pela instituição onde trabalham e acabam fazendo o curso como um "degrau" para serem promovidos. Muitos funcionários de bancos estão lá dentro e a gente estranha que os caras não querem nada com nada e parecem crianças colando nas provas.


http://www.fgv.br/mba/

IBMEC

http://www.ibmec.br/


Página principal

Ferramentas pessoais