Xavante

De wikITA

Aeronave AT-26 Xavante - EMB-326GB. Arquivo obtido em 18/04/2010, no enderêço: http://www.fs98fabmil.hpg.ig.com.br/projeto/xavante/1xavante_4524_2_5_GAV.JPG
Aeronave AT-26 Xavante - EMB-326GB. Arquivo obtido em 18/04/2010, no enderêço: http://www.fs98fabmil.hpg.ig.com.br/imagem/FAB/xavante.gif
Aeronave AT-26 Xavante - EMB-326GB (3 vistas). Arquivo obtido em 18/04/2010, no enderêço: http://www.fs98fabmil.hpg.ig.com.br/imagem/FAB/at26-3.jpg

Segundo consta em "Aermacchi MB-326", na Wikipédia em português (em 18/04/2010):

"Junto com os processos de compra de uma nova aeronave supersônica, que viria a ser o Mirage III, havia a necessidade de selecionar uma aeronave de treinamento para a conversão operacional. Com recursos disponíveis e a vontade de desenvolver uma indústria aeronáutica no Brasil, a FAB procurou uma aeronave adequada e que oferecesse condições contratuais vantajosas que permitissem a sua construção no país. A escolha recaiu sobre o Aermacchi MB-326. Esta encomenda e a fabricação do Bandeirante possibilitaram o início da Embraer. A versão brasileira do MB-326GB foi denominada Embraer EMB-326 Xavante. Esta aeronave é denominada AT-26 pela FAB, indicando sua dupla função de ataque e treinamento.

Os Xavantes entraram em operação em 1971 e continuaram em produção até 1981, sendo o primeiro avião a reação construído em série no Brasil. Um total de 166 aeronaves foram construídas pela Embraer para a Força Aérea Brasileira, sendo as demais exportadas para o Togo (6 unidades) e o Paraguai (10 unidades). Onze aeronaves usadas foram doadas para a Marinha da Argentina depois da Guerra das Malvinas para repor as perdas desta força no conflito.

O número de aeronaves adquiridas permitiu equipar vários esquadrões de ataque da FAB, além de sua função na formação de pilotos. Com o tempo, o número de aeronaves disponíveis diminuiu, estando todas as restantes integradas ao 1º/4º Gav cuja função é ministrar o curso de líder de esquadrilha. Aproximadamente 27 aeronaves ainda estão operacionais."

Ficha Técnica

País de Origem: Itália

País de Fabricação: Brasil

Fabricante: Embraer

Tipo: Avião de treinamento e ataque ao solo

Motor: Turbojato Rolls-Royce, Bristol Viper 20, MK-540, de 3.410 lb de empuxo.

Desempenho: - vel. máx. ataque: 871 Km/h ; - teto: 14.000 m ; - raio de combate: 648 Km

Pesos: - vazio: 2.474 Kg ; - máx. decolagem: 5.220 Kg

Dimensões: - envergadura: 10,84 m ; - comprimento: 10,65 m ; - altura: 3,72 m ; - área de asa: 19,35 m2

Armamento: Combinações de bombas leves, metralhadoras .50 pol. sob as asas, lança-foguetes e disposição para câmeras de reconhecimento fotográfico

Operadores: Argentina, Brasil, Paraguai, Togo

Experiência em combate: - variante italiana - Malvinas; - variante sul-africana (Impala) - Namíbia

(Fonte, em 18/04/2010: http://freepages.military.rootsweb.ancestry.com/~otranto/fab/xavante.htm)

Links externos

  1. "Aermacchi MB-326". Wikipédia.
  2. FAB - Embraer EMB-326GB / AT-26 Xavante.
  3. FORÇA AÉREA BRASILEIRA - AT/RT-26 Embraer EMB-326GB Xavante.

Glossário

Embraer

Ferramentas pessoais